Inscrever-me

Aprenda como definir o preço de um serviço e calcular a previsão de receitas do seu negócio

15 junho, 2021
balcaraz

Uma das dúvidas mais recorrentes entre os profissionais que estão iniciando a carreira é saber qual o valor justo a ser cobrado pelo serviço que eles oferecem. A princípio pode parecer algo simples, bastaria apenas definir um valor que esteja dentro dos padrões do mercado e que permita ter uma margem de lucro razoável. Mas na prática a definição do preço de um serviço não é tão simples assim, e deve levar em consideração uma série de fatores para evitar que o valor cobrado seja muito alto ou baixo demais. Pensando nisso, nós trouxemos algumas dicas que prometem ajudá-lo na hora de calcular o preço correto a ser cobrado pelos seus serviços e ainda ter uma previsão das receitas que seu negócio irá gerar. Não deixe de conferir abaixo!

Aprenda como definir o preço de um serviço e calcular a previsão de receitas do seu negócio
Para calcular o preço de um serviço é necessário considerar diversos fatores

Considere as despesas envolvidas

Um dos principais erros cometidos por que está iniciando em determinado mercado é o de achar que basta definir um preço abaixo da concorrência para assim atrair o maior número possível de clientes e ter um bom volume de vendas. A consequência disso é que muitas vezes o preço cobrado fica abaixo do valor gasto para oferecer o serviço, trazendo assim prejuízos ao negócio. Por isso, o primeiro ponto a ser considerado na hora de definir quanto irá custar um serviço são os custos envolvidos na atividade. Existem basicamente três custos principais envolvidos na hora de calcular o preço de um serviço, são eles: custos variáveis, que se dividem entre os custos dos materiais, ou seja, o valor gasto com os materiais que serão utilizados no trabalho e o custo do trabalho em si, que é definido com base na quantidade de horas necessárias para realização do serviço e considerando o salário médio de um profissional da categoria em questão, e as despesas fixas, que se referem aos gastos indiretos envolvidos na prestação do serviço, como por exemplo aluguel de um espaço, energia, água, etc.

Após considerar todos esses custos, será possível aplicar um método conhecido como Custeio por Absorção ou Custeio Integral, que busca absorver uma parcela das despesas fixas no valor final cobrado pelo serviço. Imagine, por exemplo, que para fazer a pintura de um espaço um pintor irá gastar cerca de R$ 350 com os materiais, incluindo tintas, rolos e pincéis, a sua mão de obra terá o valor de R$ 400, referente a dois dias de trabalho integral, e as despesas fixas ficam por conta do aluguel do estabelecimento, que custa R$ 750, e a energia gasta por mês, cerca de R$ 130, será necessário considerar todos esses custos na hora de calcular o preço final do serviço.

Estabeleça a margem de contribuição

Após calcular todos os custos envolvidos na prestação do serviço, será necessário fazer uma estimativa da quantidade de serviços realizados mensalmente. Para quem está começando agora pode ser um pouco difícil chegar a esse número, por isso a dica é ter como parâmetro alguém da concorrência que ofereça o mesmo trabalho que você. Se o seu negócio já estiver em funcionamento há algum tempo, basta observar os números de vendas e o faturamento nos últimos meses para chegar a uma média mensal de serviços realizados, lembrando que esse número deve ser o mais preciso possível.

A partir dessa definição, será possível estabelecer a margem de contribuição, ou seja, quanto cada serviço deverá contribuir para cobrir os custos fixos e variáveis do trabalho e ainda gerar lucro. No exemplo que trouxemos acima, o valor gasto com a mão de obra e os materiais é de R$ 750, sendo estes os custos variáveis, enquanto as despesas fixas com aluguel e energia são de R$ 880. Portanto, se forem realizadas 10 pinturas por mês, o custo dos materiais e da mão de obra será de R$ 7.500, somando ao valor das despesas fixas chegamos a um total de R$ 8.380. Se o pintor do exemplo deseja lucrar em média R$ 2.000 reais por mês, esse valor deve ser somado aos custos com materiais, mão de obra e despesas fixas, chegando a um total de 10.380, que é o valor de receita a ser alcançado para cobrir todos os gastos e ainda ter lucro.

Logo, considerando que são realizadas em média 10 pinturas por mês, cada uma delas deverá custar em torno de R$ 1.038 para arcar com os custos variáveis e fixos e ainda garantir lucro ao pintor. Tendo esse valor como base, bastaria que a média mensal de serviços se mantivesse estável para que o negócio de pintura fosse sempre lucrativo. Mas como nem sempre isso acontece, e as previsões podem falhar, é necessário considerar ainda um terceiro fator que iremos explicar abaixo.

Não se esqueça do Ponto de Equilíbrio

Também conhecido como Ponto Crítico de Vendas, o Ponto de Equilíbrio (PE) irá definir qual a quantidade mínima de serviços necessários para cobrir todas as despesas do negócio sem ficar no prejuízo. A fórmula para chegar a esse resultado é: despesas fixas, que no caso do nosso exemplo são de R$ 880, divididas pelo resultado final da subtração do preço final do serviço, que no nosso exemplo é de R$ 1.083 e dos custos variáveis, que somam R$ 750 no nosso exemplo. Para facilitar a visualização temos a seguinte equação:

PE = 880 / (1083 - 750) = 2,64

Ou seja, para não ter prejuízos e cobrir todas as suas despesas fixas, esse pintor precisará realizar pelo menos três pinturas por mês (primeiro número inteiro acima de 2,64), e seu lucro de fato só começa a vir a partir da quarta pintura. Ter esses números em mente é fundamental para conseguir cobrar um preço justo pelos serviços prestados, sem correr o risco de ficar no vermelho ou de não ter clientes por estar muito acima dos padrões do mercado. Aplique os cálculos ao tipo de serviço que você realiza, considerando valores reais para suas despesas fixas e para os custos variáveis com materiais e mão de obra, pois assim irá perceber que precificar o seu trabalho pode ser mais simples do que parece, e certamente o esforço trará bons resultados para o seu negócio.

Aprenda como definir o preço de um serviço e calcular a previsão de receitas do seu negócio
A correta precificação do serviço ajuda a manter as finanças em dia
-
É freelancer ou empresa e pretende obter clientes com menos esforço?
Cadastre-se e receba clientes
Uma coisa antes de fazer seu comentário: não é permitido incluir nesta seção telefones de contato, e-mails ou links para páginas externas da web, tais conteúdos serão moderados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba notícias em seu e-mail

  • Hidden
    :
Suscribirme a la newsletter
¿Autónomo o empresa?
Consigue nuevos clientes y haz crecer tu negocio
Únete a habitissimo
usercalendar-fullcrossmenu